MixLit 36: Piada no exílio

Aquilo tinha de ser uma piada, ele carregou os dois canos. Era um homem com senso de humor. Um gozador. Não se podia confiar em tal homem, um curinga no baralho1.

Estirado na areia, cochilo. É uma tarde de sol. Outra vez, as aves, que dançam sobre minha cabeça2 lentamente. A claridade da luz brinca num matiz de cinza, verde e marrom3.

Por que estamos aqui? Sei lá! Culpa dele4, meu tio comunista, exilado no mato. “É a revolução” – dizia mamãe5.

Passaram-se dias?

Anos?6

Cheguei até a sonhar essa cena, e nossa família me pareceu como a pequena corte do rei Jaime II, em exílio na costa de Haia7.

Ainda não me dei um tiro, como fez meu tio8. Uma das razões para isso é que sou preguiçoso demais – ou orgulhoso demais – para fazê-lo, a despeito de qualquer noção de “segurança”9. No entanto10, tenho curiosidade11. A ideia do suicídio é um poderoso consolo: ela ajuda a passar mais de uma noite ruim12.

_____________________

1 Joyce Carol OATES. Descansa em paz. Tradução de Eliza Nazarian. Leya. São Paulo. 2010, p.193.

2 José CASTELLO. Ribamar. Bertrand Brasil. Rio de Janeiro. 2010, p.90.

3 Walt WHITMAN. Folhas de Relva. 1855. Tradução de Rodrigo Garcia Lopes. Edição bilingue. Iluminuras. São Paulo. 2008, p.55.

4 Felipe PENA. O marido perfeito mora ao lado. Record. Rio de Janeiro. 2010, p.13.

5 Joca Reiners TERRON. Curva de rio sujo. Planeta. São Paulo. 2003, p.15.

6 Anne RICE. Violino. 1997. Tradução de Mário Molina. Rocco. Rio de Janeiro. 1999, p.203.

7 W.G. SEBALD. Os anéis de Saturno. 1995. Tradução de José Marcos Macedo. Companhia das Letras. São Paulo. 2010, p.57.

8 H.P. LOVECRAFT. A sombra de Innsmouth. 1931. Tradução de Guilherme da Silva Braga. Hedra. São Paulo. 2010, p.119.

9 Woody ALLEN. Em: Grandes diretores de cinema – entrevistas de Laurent Tirard. Tradução de Marcelo Jacques de Moraes. Nova Fronteira. Rio de Janeiro. 2006, p.86.

10 Deepak CHOPRA. Corpo sem idade, mente sem fronteiras – a alternativa quântica para o envelhecimento. 1993. Tradução de Haroldo Netto. Rocco. Rio de Janeiro. 1994, p.18.

11 Fernando PESSOA. Trecho de uma fala sua, reproduzido no site “Pensador”: http://www.pensador.info/curiosidade/2/

12 Friedrich NIETZSCHE. Além do Bem e do Mal. 1886. Tradução de Antônio Carlos Braga. Escala. São Paulo. 2007, p.91.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by Mariabia on 5 05UTC novembro 05UTC 2010 at 10:01

    é, fiquei pensando sobre isso.

  2. Posted by Vinicius on 8 08UTC novembro 08UTC 2010 at 23:58

    Caro Amigo,

    depois de um tempo sem lê-lo, li este Mix e gostei muito. A primeira fez que entrei em contato de verdade com o texto. Minha simples opnião é que esta ficando melhor.

    Abraços,

    Vini

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: